PSB espera por PSDB só até 22 de março

BLOG DE WILLIAM SANTOS | 2/06/2014 03:01:00 PM | 0 comentários

O limite é março, não podemos entrar abril sem nenhuma definição"


 O presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas, concedeu entrevista ao programa Rádio Verdade, da Arapuan FM, de João Pessoa (PB), no início da tarde desta quinta-feira (06), e fez declarações surpreendentes com relação à participação do partido nas eleições estaduais deste ano. 
Rosas revelou que o partido já trabalha com pelo menos cinco cenários diferentes para tentar a reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB) sem o apoio do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e que só espera uma definição do PSDB até o próximo dia22 de março, quando irá realizar um grande encontro, no Centro de Convenções, com todas as siglas que apoiaram a reeleição do governador, para definir o calendário eleitoral e as estratégias de campanha da base aliada. 
A expectativa é que 16 partidos participem do evento. Deste total, segundo Rosas,11 já estão bem definidos.
“Temos uma questão de campo, ver os partidos que vão está conosco. Por isso, o limite é março, não podemos entrar abril sem nenhuma definição. Não dá para esperar para que partidos cheguem com ata de convenções a meia noite do dia 30 de junho, como aconteceu com o PP em 2010. Termos que ter garantias do que queremos”, afirmou.
O presidente ratificou que “a prioridade do governo é manter a aliança com o PSDB do senador Cássio, mas seria pouca inteligência do grupo trabalhar com um só cenário”. Ele declarou também que tem muitos partidos buscando diálogo com a base do governo, mas por questões de estratégia não revelou quais são estas siglas.
“O presidente do PSDB, o senador Ruy Carneiro vai ser convidado para o encontro, mas trabalhamos com vários cenários, você não pode se iludir e ficar com um cenário só. Tem muita gente procurando, não vou dizer quem, porque é uma estratégica nossa. Seria pouca inteligência nossa trabalhar com um só cenário”, sustentou.
Rosas disse ainda entender que a Paraíba não tem mais apenas dois grupos que se reversavam no poder, agora são três forças: o grupo do governador Ricardo; do senador Cássio e o do PMDB e outros partidos da oposição. “De forma muito fria, calma, entendemos que a Paraíba não tem mais dois blocos e sim três. Os dois que se unirem ganha as eleições”, afirmou ele, acrescentando que o PSB não descarta dialogar com o PMDB, PP, PSC e a ala dissidente do PT.
É importante frisar que o PMDB foi o principal adversário de Ricardo nas eleições de 2010. Já o PSDB, do senador Cássio, o principal aliado. 

Cristiano Teixeira

WSCOM Online

Category:

0 comentários